Dia 30/11/2016, 12:34 (hora da fome), sentado no aeroporto de Congonhas esperando o embarque para casa (Recife) por volta das 14:0o.

Eis que me senta um senhor ao lado e começa a puxar papo. Detalhe: Estou segurando na mão os meus relatórios de investimentos, afinal, ontem meu soldo fora depositado e estava olhando as recomendações de ações, FIIs, fundos, tesouro, long & short, venda coberta…e esperando tomar a melhor decisão rsrsrs.

Daí um senhor me pergunta: “Isso aí é sobre investimento?” Respondo: “Sim.”

Por fim ele pergunta a minha idade, meu trabalho e se apresenta. Seu nome era Álvaro, 64 anos, Paulista, indo visitar a filha e neta que moram em Curitiba. Um senhor super gente boa e simpático, ficamos por um bom tempo falando sobre os temas vida, profissão e investimentos.

Papo legal, sou fã de gente mais velha, sempre alguma coisa a ensinar. Por fim a frase:

” Saulo, Deveria ter começado a investir antes. Quando tinha a sua idade (33) deveria ter sido mais atento, teria deixando de gastar com algumas escolhas ruins, fiz questão de gastar quase tudo. Fui feliz demais, não posso negar, porém hoje estou aposentado e não recebo  50%  do meu salário da época e não construí muita reserva para o período da vida que irei mais precisar para aproveitar viagens, restaurantes, presentes e pagar os custos de uma velhice cara na Brasil.”

Não consegui imaginar o que era mais doloroso na fala dele:

1. A insegurança financeira do presente; 2. A dor do arrependimento de ter feito escolhas ruins no passado.

Se você é economicamente ativo, tenha um caminho para evitar que se torne mais um arrependido quando chegar a hora da aposentadoria. Por isso, se planeje para gastar e para guardar.

  • Do livro, O segredo das mentes milionárias, segredo 12:

As pessoas de mentalidade rica pensam: “Posso ter as duas coisas” .

As pessoas de mentalidade pobre pensam: “Posso ter uma coisa ou outra”.

São pequenas mudanças positivas agora que o levarão para um futuro tranquilo. Segundo Nassim Taleb:

“Um evento percebido como raro, de alto impacto e imprevisível ex-ante, mas que, depois de concretizado, torna-se perfeitamente previsível, óbvio em retrospectiva.”

Como será a sua retrospectiva?

Nos vemos.

 

Participe! Deixe seu comentário e amplie a discussão.